Doenças da retina e vítreo

O que é retina?
A retina é uma delicada película de células nervosas que se localiza na parte interna dos olhos. Essas células são responsáveis por transformar o estímulo luminoso dos objetos, em impulso nervoso para o nosso cérebro.

O que é vítreo?
O vítreo é um material gelatinoso que preenche a parte interna do nosso globo ocular.

O que é mácula?
A mácula é uma pequena região na parte central da nossa retina. Ela é o local onde há maior concentração de células responsáveis pela visão, portanto uma região muito importante.

O que são “moscas volantes”?
Chamamos de “moscas volantes”, pequenas sombras que se movem na frente dos nossos olhos. Eles podem ter diversos formatos como manchas, pequenos pontos, teias de aranha, filamentos (que parecem filamento de poeira) ou círculos. A sensação que temos é que essas sombras dançam na frente de nossos olhos e quando tentamos olhar diretamente para ela, ela se desvia! Elas são percebidas mais facilmente em ambientes claros como em praias, ao olhar para uma parede branca ou durante a leitura, por exemplo.

Por que temos “moscas volantes”?
Essas sombras são consequência de uma alteração no vítreo (gelatina do olho). É como se a gelatina sofresse algumas condensações (grumos). Quando o raio de luz entra no olho, ele se depara com esse grumo e provoca uma sombra na retina. Quando mexemos os olhos, os grumos se movimentam e, consequentemente, as sombras também.
Em geral, as condensações aparecem com a idade, mas também ocorrem em jovens. Pessoas com miopia, com histórico de inflamações oculares, traumas oculares, cirurgia de catarata e tratamentos com laser, também podem apresentar as “moscas volantes”.

É grave ter “moscas volantes”? Qual o tratamento?
Na verdade, sempre que notamos as sombras pela primeira vez, devemos procurar nosso oftalmologista para realizar um exame de mapeamento de retina. Se ao exame observarmos rasgos na retina, inflamações ou infecções oculares há necessidade de tratamento específico para cada alteração. No entanto, na maioria das vezes, o exame encontra-se normal e não há necessidade de tratamento oftalmológico. Com o passar do tempo as manchas tendem a diminuir e nos acostumamos com a presença delas.

O que é descolamento de retina?
É o descolamento da película chamada retina da parede do fundo do olho. Como essa película é fundamental para nossa visão, quando o seu descolamento deve ser tratado com urgência.

Por que ocorre o descolamento de retina?
O descolamento geralmente resulta de uma rasgadura na retina. Essa rasgadura ocorre quando há alguma região frágil na retina. Quando o vítreo se separa da retina (descolamento do vítreo), ele provoca uma tração que pode rasgar essa área mais frágil da retina. O líquido do vítreo pode passar através desta rotura e descolar a retina.

Quais são os sintomas do descolamento de retina?
Os primeiros sintomas são a percepção de “flashes” de luz ao redor dos olhos (como se alguém estivesse batido uma foto) e a visão de pontos escuros flutuantes (“moscas volantes”). Esses sintomas ocorrem antes da retina se descolar e, se notados, devemos procurar nosso oftalmologista imediatamente. Após a retina se descolar, observamos como uma sombra que se fecha da periferia para o centro da visão ou como se o olho estivesse aberto dentro da água.

Quem pode ter descolamento de retina?
O descolamento de retina é mais comum em:
pessoas com miopia elevada
pessoas com histórico familiar de descolamento de retina
após um trauma (como bolada, acidentes de carro, quedas)
após cirurgias oculares complicadas
Em todos esses casos, é importante realizar um exame de mapeamento de retina preventivo. Neste exame, avaliamos se há alguma área da retina periférica com tendência a descolar. Se houver, realizamos uma aplicação de laser para prevenir o descolamento.

Qual o tratamento para o descolamento de retina?
A maioria dos descolamentos de retina necessita de cirurgia e essa deve ser realizada o quanto antes. A cirurgia reposiciona (cola) a retina no fundo do olho. Há várias técnicas para realizar essa cirurgia.

O diabetes pode afetar os olhos? Como?
Sim. O diabetes mellitus é uma doença crônica que, se não for bem controlada, pode levar a alterações em diversos órgãos do nosso corpo, inclusive os olhos.
O principal problema ocorre na retina e chamamos de retinopatia diabética. Nela, o diabetes não controlado provoca alterações nos vasos sanguíneos. Se a glicemia (taxa de açúcar no sangue) não for controlada, as alterações se intensificam progressivamente e levam a cegueira com o passar do tempo.

Quais cuidados devo tomar com os olhos se tenho diabetes?
O mais importante é controlar bem a glicemia. Além disso, o Consenso da Academia Americana de Oftalmologia para Avaliação de Retinopatia Diabética, orienta:

  • - Pacientes com diabetes tipo 1: realizar o primeiro exame entre 3 e 5 anos após o diagnóstico;
  • - Pacientes com diabetes tipo 2: realizar o primeiro exame logo após o diagnóstico;
  • - Pacientes com diabetes tipo 1 ou 2: realizar exame antes da gravidez e no primeiro trimestre da gravidez.

A avaliação deverá incluir exame de fundo de olho com frequência anual. Avaliações mais frequentes e exame mais detalhado dos vasos da retina (através da angiofluoresceinografia), muitas vezes são necessários para acompanhamento da evolução e da estratégia de tratamento.

A pressão alta no corpo (hipertensão arterial) pode afetar os olhos?
Sim. A pressão arterial, quando descontrolada, pode levar a diversas alterações nos vasos sanguíneos da nossa retina (Retinopatia hipertensiva). Quem tem hipertensão arterial deve realizar exame de mapeamento de retina regular.

O que é Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI)?
É uma doença que acomete a mácula, região central da retina. Ocorre geralmente após os 60 anos de idade. O principal sintoma é a diminuição da visão central. Diversos fatores estão relacionados ao aparecimento da degeneração macular entre eles: exposição excessiva aos raios solares, tabagismo, pessoas com a pele ou olhos claros e casos familiares de degeneração. Existem duas formas de degeneração macular, sendo que 90% dos pacientes apresentam a forma seca ou não exsudativa e os 10% restantes, a forma úmida ou exsudativa.

Como prevenir a Degeneração Macular Relacionada à Idade?
Prevenimos a degeneração macular com o uso de óculos escuros (com proteção UVA e UVB), uso de vitaminas, uso de antioxidantes, alimentação rica em folhas verdes e vegetais. É fundamental um acompanhamento oftalmológico regular, pois quando diagnosticamos de forma precoce, minimizamos o comprometimento a visão.

Dra. Nadia Moysés

Oftalmologia
Clínica e Cirúrgica

Locais de Atuação