Glaucoma

Chamamos de Glaucoma uma doença ocular pouco conhecida e muito perigosa se não for diagnosticada de forma precoce.

No nosso olho temos um conjunto de fibras que captam a imagem e levam essa informação para o nosso cérebro. Essas fibras entram no nosso nervo do olho (nervo óptico) por onde caminharão até o local do cérebro onde a informação será interpretada.

O que é Glaucoma?
O Glaucoma é uma doença que, lenta e progressivamente, machuca as fibras do nervo óptico. Como elas são responsáveis por transmitir a informação do que estamos enxergando, quando estão muito danificadas perdemos a visão.
Em geral, a causa da lesão das fibras é uma pressão ocular interna muito alta.

O que é pressão do olho?
No nosso olho temos um líquido chamado de humor aquoso. Esse líquido é produzido em uma “torneira” (corpo ciliar) e é drenado em um “ralo” (trabeculado). Quando temos alguma alteração na “torneira” (produção excessiva do líquido) ou no “ralo” (não está drenando o suficiente), ficamos com um excesso de líquido dentro dos olhos. Como esse líquido não tem para onde sair, ele causa uma pressão muito alta nas paredes do globo ocular. Essa pressão alta é que machucará as fibras do nervo do olho.

Quem tem pressão alta no corpo também tem pressão alta no olho?
Não necessariamente. A pressão do corpo é a pressão do nosso sangue e a do olho é a do líquido chamado humor aquoso. Como são pressões de líquidos diferentes, se uma está alta a outra não necessariamente estará.

Qual a pressão normal do olho?
Podemos dizer que a pressão normal nos nossos olhos varia de 10 a 20mmHg. Essa é a média encontrada na população em diversos estudos realizados. No entanto, cada paciente tem características oculares que levam a uma pressão mais alta ou mais baixa. Preferimos falar que a pressão normal nos olhos varia de paciente para paciente.

Se a minha pressão do olho está alta significa que eu tenho glaucoma?
Não necessariamente. Temos glaucoma quando a pressão interna dos olhos está machucando o nervo. Podemos ter pressão ocular muito alta, mas o nervo estar normal. Nesses casos, há hipertensão ocular e não glaucoma.

O que sinto quando a pressão está alta?
Dependendo do valor da pressão não sentimos nada! Sentimos dor, embaçamento visual e visão de halos ao redor das luzes, apenas quando a pressão atinge valores muito altos, acima de 40mmHg!

O que é campo visual? Por que ele se altera no glaucoma?
Chamamos de campo visual ou campo de visão, a área que enxergamos com os nossos olhos. Quando temos glaucoma o nosso campo de visão pode diminuir com o tempo. Isso ocorre, pois as milhares de fibras do nervo são responsáveis por captar a imagem nas regiões do campo de visão (região superior, inferior, nasal e lateral). Como no glaucoma as fibras são machucadas, elas não serão capazes de captar a imagem na área campo visual que são responsáveis. Por exemplo: se as fibras responsáveis por captar a imagem da região inferior do meu olho esquerdo forem machucadas pela pressão, eu não enxergarei mais os objetos nesta região e com esse olho.



Como sei que o meu campo visual está diminuindo?
Na verdade, demoramos muito tempo para perceber que o nosso campo de visão está diminuindo pelo glaucoma. Isso ocorre pois, caracteristicamente, perdemos primeiro a visão periférica e por último a central. É como se o nosso campo de visão fosse diminuindo de fora para dentro, como se fosse um funil. Quando achamos que um paciente tem glaucoma, pedimos um exame que testa o campo de visão (veja abaixo em exames para o glaucoma).

O que é escavação do nervo?
Vamos imaginar que o nervo óptico é um canudo recheado com fibras. Nas bordas do canudo temos muitas fibras e no centro dele não temos fibras. Essa área central sem fibras é chamada de escavação do nervo óptico. A escavação pode variar no tamanho, sendo grande, pequena ou normal.



Por que falaram que a minha escavação está aumentada?
Quando falamos para um paciente que a sua escavação está aumentada, isso pode ser uma característica própria ou então uma suspeita de glaucoma. Como a escavação do nervo é a área que não tem fibras, ela estar aumentada pode ser um sinal de que o paciente está perdendo as fibras do nervo. Essa perda de fibras é o que acontece no glaucoma. Assim, escavação aumentada pode ser um sinal de glaucoma!

É verdade que a pressão dos meus olhos é mais alta porque minha córnea é grossa?
Sim. Quando medimos a pressão dos olhos, usamos um aparelho que é calibrado para uma espessura de córnea normal (na média da população). Quando a nossa córnea é mais grossa, ocorre um erro na medida e ela fica maior que a pressão real. O oposto também ocorre. Se eu tenho uma córnea mais fina que a média da população, a pressão real será na verdade mais alta que a que o aparelho mediu. Existe um exame chamado paquimetria (veja na parte de exames) que mede a espessura da nossa córnea. Assim, saberemos se a pressão está realmente alta ou não. Hoje em dia esse exame é fundamental quando investigamos glaucoma em um paciente.

O que sentimos quando estamos com glaucoma?
Nada! Pois é, aí é que está o perigo desta doença! O glaucoma apenas provoca sintomas quando já está em um estágio muito avançado. Neste estágio, notamos que não estamos enxergando bem em uma região do campo de visão. Ou então, notamos uma sombra escura na lateral do olho, por exemplo. Existe um tipo de glaucoma chamado de glaucoma de ângulo fechado. Neste tipo de glaucoma, temos pressões extremamente altas nos olhos e sentimos uma dor intensa, acompanhada de náuseas, visão turva e olhos vermelhos. A dor é tão forte, que nos leva ao pronto socorro! Chamamos isso de crise de glaucoma!



Como sei que estou com glaucoma?
A única forma de saber se temos glaucoma é através do exame oftalmológico. Exames básicos de medida da pressão ocular e avaliação do nervo óptico, muitas vezes são suficientes para diagnosticar a doença. Dessa forma, o exame de rotina é fundamental, pois quando descobrimos o glaucoma em sua fase inicial já iniciamos o tratamento. Assim, estabilizamos a doença de forma a proteger as fibras do nervo óptico.

Se meu pai ou mãe tem glaucoma eu posso ter também? E outras pessoas da família?
Sim, o glaucoma pode ser uma doença hereditária. Quando alguém próximo da nossa família (pai, mãe, irmãos, avós ou tios) tem glaucoma, temos que fazer avaliações periódicas com o oftalmologista para ver se herdamos essa doença.

O que é suspeita de glaucoma?
Falamos que um paciente tem suspeita de glaucoma quando apresenta algumas alterações no nervo, na pressão ocular ou no campo visual que são sugestivas de glaucoma. Por exemplo, o paciente apresenta uma pressão ocular limítrofe (próxima de 20mmHg) ou então uma escavação grande do nervo. Nestes casos, realizamos exames complementares para investigar glaucoma. Falamos que o paciente tem “suspeita de glaucoma” e não glaucoma pois ainda está em investigação. Essa investigação pode, em alguns casos, durar anos! O diagnóstico inicial de glaucoma nem sempre é fácil e muitas vezes acompanhamos o paciente por alguns anos para ter certeza que ele realmente tem glaucoma. Só indicamos o tratamento com colírios quando temos certeza que o paciente tem glaucoma.

Quais são os tipos de glaucoma?
Existem diversos tipos de glaucoma, os principais são:

  • - Glaucoma de ângulo aberto
  • - Glaucoma de ângulo fechado
  • - Glaucoma de pressão normal
  • - Glaucoma congênito (criança já nasce com glaucoma)
  • - Glaucoma juvenil (nas crianças pequenas e adolescentes)
  • - Glaucoma secundário

O que é glaucoma de ângulo aberto?
Esse é o tipo mais comum de glaucoma. É de causa hereditária. Geralmente se manifesta após os 40-50 anos de idade. Nele ocorre uma lesão lenta e progressiva das fibras do nervo óptico.

O que é glaucoma de ângulo fechado?
Nesse tipo de glaucoma o “ralo” de drenagem do líquido ocular está fechado. Isto pode ocorrer de forma crônica ou súbita. Quando ocorre de forma súbita chamamos de crise de glaucoma, pois há um aumento muito grande da pressão dos olhos. Durante a crise sentimos uma dor intensa, os olhos ficam vermelhos, a visão embaçada e com halos ao redor das luzes. A dor é tão forte que nos leva a procurar atendimento no pronto socorro. Assim que o médico diagnostica a crise, inicia medicações para reduzir a pressão ocular o mais rápido possível. Na crise de glaucoma a pressão ocular está tão elevada que pode levar a cegueira irreversível em poucas horas!

O que é glaucoma de pressão baixa ou pressão normal?
É um tipo de glaucoma em que há lesão das fibras do nervo mesmo com uma pressão ocular considerada baixa. Acredita-se que esse glaucoma está associado a outras alterações como o baixo fluxo de sangue que chega ao nervo óptico. Esse glaucoma é mais comum em japoneses e descendentes de japoneses.

O que é o glaucoma congênito?
O glaucoma congênito ocorre devido a uma má formação no “ralo” de drenagem do líquido ocular. Essa alteração leva a um aumento na pressão nos olhos da criança e consequentemente uma lesão do nervo.
A criança já nasce com glaucoma e apresenta um quadro bem característico:

  • - olhos grandes com uma coloração opaca
  • - muita sensibilidade à luz
  • - lacrimejamento excessivo

É uma doença rara e hereditária que pode acometer apenas um ou ambos os olhos. Assim que a criança nasce e diagnosticamos a doença, devemos operar o quanto antes. Se demorarmos muito para tratar, há risco de cegueira irreversível!

O que é glaucoma juvenil?
O glaucoma juvenil é uma doença rara e hereditária. Inicia na infância ou na adolescência. O tratamento é semelhante ao do glaucoma de ângulo aberto.

O que é Glaucoma secundário?
É o glaucoma decorrente de outras doenças. Em certos casos, estão associados a uma cirurgia ocular, cataratas avançadas, lesões oculares, alguns tipos de tumor ou uveíte (inflamação ocular). Da mesma forma, os corticosteróides, usados para tratar inflamações oculares e outras doenças, podem desencadear o glaucoma em algumas pessoas se usados indiscriminadamente.

Como posso prevenir o glaucoma?
De uma forma geral, ainda não temos como prevenir o glaucoma. O importante é realizarmos exames oftalmológicos periódicos para investigar se há um início da doença. Se observarmos sinais que confirmem a doença, iniciamos o tratamento o quanto antes.
O único glaucoma em que se pode prevenir a lesão do nervo é o de ângulo estreito. Nestes casos, quando observamos que o paciente tem uma tendência a esse glaucoma, indicamos um procedimento a laser chamado de iridotomia com Yag-laser (veja em tratamentos a laser). É um procedimento realizado em consultório, indolor, rápido e seguro, que protege muito nossos olhos.

Se eu tenho glaucoma posso ficar cego um dia?
O glaucoma é uma doença que pode levar a cegueira de forma irreversível. Dependendo do tipo do glaucoma, esse processo pode ser rápido ou então muito lento. Assim, o quanto antes investigarmos e tratarmos o glaucoma, menor será a chance de perda da visão.

Quais são os exames para glaucoma?
Tonometria: exame realizado no consultório para medir a pressão ocular.

Fundoscopia ou fundo de olho: exame realizado no consultório que avalia as fibras do nervo óptico. Pode ser feito com ou sem dilatação ocular.

Campo visual computadorizado ou manual: exame que avalia se já existem regiões alteradas no nosso campo de visão ou se estas alterações estão progredindo com o tempo.

Gonioscopia: exame que avalia o local de drenagem do líquido ocular (humor aquoso). Fazemos esse exame para ver se há alguma alteração anatômica que justifique um "entupimento" no local de drenagem.

Paquimetria: exame realizado no consultório que mede a espessura da córnea (região superficial do olho). Esse exame é importante, pois se temos uma córnea muito grossa ou muito fina, precisamos fazer um ajuste no valor medido da pressão ocular.

Retinografia ou estereofotografia de papila: neste exame dilatamos os olhos e fazemos uma fotografia do nervo óptico para registrar e acompanhar seu aspecto com o passar do tempo. Realizamos este exame a cada 1 ou 2 anos em pacientes que são suspeitos de glaucoma ou que estão em tratamento. O objetivo principal desta fotografia é colocarmos as fotos lado a lado para ver se houve alguma alteração do nervo em um determinado intervalo de tempo.

Tomografia de coerência óptica (OCT): exame que, no caso do glaucoma, avalia a camada de fibras nervosas do nervo óptico. É como se contássemos a quantidade de fibras em cada região dos olhos para avaliar se há alguma área de perda e se essa área esta aumentando com o tempo.

Dra. Nadia Moysés

Oftalmologia
Clínica e Cirúrgica

Locais de Atuação